A Magistratura dos Afectos


Ficou desvendado ontem o grande mistério que a generalidade dos portugueses presumia há muito tempo: o Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa é candidato à presidência da República (LER). Ainda na terça-feira falava com ele longe de pensar que faria o anúncio num tão curto prazo de tempo após as eleições legislativas. Guardo boas recordações do senhor Professor. É um dos catedráticos que mais admiro na minha faculdade, à semelhança dos ilustres Professores Eduardo Vera-Cruz Pinto, Paulo Otero, Jorge Miranda, Menezes Cordeiro e Fernando Araújo, o "Jansenista"

O exame oral mais curto que fiz na Faculdade de Direito de Lisboa foi com o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa na disciplina de Direito Administrativo II. Era a única pessoa que estava na lista nesse dia com ele. Fazia-me perguntas e, ao mesmo tempo, "ajudava-me" a respondê-las. A dada altura, disse-me: Térsio, já tem a cadeira feita, ou seja, 10 valores estão assegurados. Agora tem que se esforçar para subir o tangente valor. A partir daí o Professor passou a fazer-me perguntas mais complexas que eu estava a ter algumas dificuldades em responder. Em consequência disso, não prolongou muito o exame para não me complicar a vida, atribuindo-me uma nota final que me deixou satisfeito. 

O Professor Marcelo Rebelo de Sousa é uma figura humilde, acessível e bastante humanista. Quem o conhece de perto consegue reconhecer facilmente essas nobres virtudes nele. Não tem uma postura de arrogância, ao contrário de muitas pessoas do seu estatuto social. Apesar de ser extremamente inteligente e fazer parte da restrita elite portuguesa, mesmo assim não se envaidece com tão privilegiada condição social. É um homem de família, prestigiado constitucionalista, social-democrata, comentador de excelência, defensor da lusofonia, europeísta, católico convicto, influenciado, sobretudo, pela Doutrina Social da Igreja, tal como fez questão de vincar no seu discurso da oficialização da candidatura. Todos estes ideais habilitam-no, sem margem de dúvida, para o cargo presidencial. Espero que o senhor Professor consiga, de facto, materializar este tão sublime sonho de saldar a dívida moral para com o seu povo.